Logo ARCP Guariroba Campo Grande MS

Campo Grande
07 de Agosto de 2020.

ARCP

Sobre a ARCP Guariroba

A ARCP foi criada com o objetivo de reverter o problema da diminuição das águas do córrego Guariroba, que abastece 50% da população de Campo Grande.



Mesmo o Brasil sendo uma das maiores potências mundiais de reserva de água doce - 12% segundo a Agência Nacional de Águas (ANA), o país tem enfrentado desabastecimento em inúmeras cidades, como por exemplo, São Paulo, que, recentemente, sofreu com a falta d`água.

O sistema Cantareira, que abastece a capital paulista perdeu mais de 70% da cobertura vegetal e a represa quase secou. O desaparecimento da bacia hidrográfica do Guariroba pode comprometer o abastecimento da Capital, que consome cerca de 6 bilhões de litros de água por mês. Desde 1995, os 36 mil hectares da bacia foram transformados em uma APA - Área de Proteção Ambiental e uma série de ações passaram a ser desenvolvidas. A Associação dos produtores (ARCP) se reúne mensalmente com prefeitura e outros parceiros para discutir as ações.

Um dos programas desenvolvido na bacia do Guariroba é o programa Manancial Vivo, uma experiência piloto de pagamentos por serviços ambientais. Segundo Marcos Andrey da SEMADUR e coordenador do Manancial Vivo “nós temos convicção de que todas essas ações vão garantir a sustentabilidade das atividades socioeconômicas dentro do município de Campo Grande com disponibilidade de água em quantidade e qualidade para as atuais e futuras gerações“.

Na área de preservação, estão 62 propriedades rurais. Mais da metade dos produtores já aderiram ao programa manancial vivo e 16 deles já estão recebendo ajuda para custear as obras necessárias pelos serviços ambientais. O pagamento varia de R$30,00 a R$180,00 por hectare ao ano, dependendo do serviço realizado. A estimativa é de que se gaste cerca de 20 milhões até 2021 nos trabalhos de recuperação do córrego. Já são seis anos de trabalho no projeto de recuperação do guariroba. Até agora já foram restaurados cerca de 230 hectares de matas, feitos os terraceamentos em quase 900 hectares e construídas 36 mil metros de cercas, tudo isso, com a cooperação dos Produtores da região.

Voltar